quarta-feira, 22 de novembro de 2017

CONCILIAR COM QUEM?



E claro que é uma jogada de política. É apenas uma aviso: "se eu ganhar as eleições não vou bater em vocês, portanto aliviem um pouco a barra". Mas há quanto tempo nós vivemos com esta lengalenga? A esquerda concilia e a direita bate. Assim foi na anistia, em que todos os envolvidos continuaram na política, geraram filhotes e deram um novo golpe.

domingo, 5 de fevereiro de 2017

ESTÁ TUDO DOMINADO PELO COISA RUIM!





A SITUAÇÃO ESTÁ COMO O DIABO GOSTA:

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA É UM VAMPIRO, A PRESIDENTE DO STF É UMA BRUXA, O PRESIDENTE DA CÂMARA É REPRESENTANTE DO DEMO.

BEM FAZ EU QUE ESTOU NA OPOSIÇÃO!
 

domingo, 15 de janeiro de 2017

O SENTIDO DA VIDA E SUA DEMONSTRAÇÃO CIENTÍFICA

         Visando comemorar meus sessenta e cinco anos de existência, decidi revelar, de forma científica uma curiosidade que acomete os adolescentes e jovens de todo mundo. Apesar de se julgarem autossuficientes, os jovens sabem que só uma pessoa que viveu muito pode responder. O problema é que depois dos trinta anos as pessoas deixam de pensar sobre o sentido de vida e usa sua cabeça para coisas mais práticas.
            Para os jovens que não teve muito contato com a Física devo fazer um preâmbulo. Explicar a diferença entre uma grandeza escalar e vetorial.
            Uma grandeza escalar é de fácil percepção. Possui apenas um valor numérico, seguido do símbolo da grandeza. Pode ser representado por um segmento de reta. Como exemplo podemos citar a distância: A distância entre Rio de Janeiro e São Paulo é de 400km.
            Já a grandeza vetorial (que pode ser exemplificada pela "Força") é um pouco mais complicada. Uma grandeza vetorial, além de um módulo (representada por um segmento de reta orientado, ou seja com uma flechinha em cima), uma direção e um sentido.
            Embora tenha um módulo, que á a quantidade de anos e dias que vivemos, a vida não deve ser uma grandeza escalar, pois assim a vida não teria sentido. E nós sabemos, empiricamente, que a vida tem sentido.
            A direção é a estrada que utiliza. Você pode ir do Rio de Janeiro a São Paulo ou de São Paulo para o Rio de Janeiro usando a Dutra. Mas também Você pode ir do Rio para São Paulo pela Rio-Santos, e depois subir a serra. Pode ir para Brasília passando por Belo Horizonte e voltar por Uberlândia e São Carlos, até São Paulo, pode sair do Porto do Rio até o Porto de Santos e subir  a serra. São muitas as direções (estradas, caminhos) que podemos tomar, porém limitados. Para cada trajetória teremos que definir um novo módulo. Portanto o valor do módulo deponde da direção. Como na vida podemos tomar infinitos rumos podemos concluir que não existe uma direção definida. Portanto a vida também não é uma grandeza vetorial. Talvez seja por isso que seja tão difícil entender o sentido da vida. Mas o que é sentido fisicamente? Na direção Rio-São Paulo, pela Dutra, existem dois sentidos: Do Rio de Janeiro para São Paulo e de São Paulo para o Rio de Janeiro.


            Portanto podemos concluir que a vida tem um sentido que vai do nascimento até a morte. Muito simples.

sexta-feira, 18 de março de 2016

AGARRA ESTA BANDEIRA E SIGA TEU CAMINHO

 
(Carlos David Ide)
Agarra esta bandeira e siga teu cainho.
Ignore as pedras pontiagudas que ladrilham o teu chão.
Siga até o cume das montanhas, para que estejas bem alto.
Mas te escondas para não ser visto:
Atrás de teu peito...
Atrás de seus olhos!
Se acaso encontrares o mar à tua frente, não faças caso.
O mar é uma poça d’agua, embora de grandes dimensões.
Aproveite o murmúrio do vento, o vai e vem das ondas como um acalanto...
Podes descansar, pois seu caminho é longo!
Mas não durmas!
À sua frente há uma divisão de gigantes estúpidos,
atrás, toda a humanidade.
E em tuas mãos há uma bandeira!
Pega para ti o fogo dos vulcões,
deixa ao inimigo o tremor dos terremotos!
Paga para ti a fúria do tufão,
deixa ao inimigo o tremor dos terremotos!
Agarre esta bandeira e siga seu caminho.
E, quando por desgraça sentires
penetrando em tua carne o espinho doloroso da derrota,
não te entregues: entregar-te é uma traição!
Não morras que morrer é covardia!